NOVOS POVOADORES DO DOURO – REVISTA NOTÍCIAS MAGAZINE

Laura García e Vítor Vilela
APICULTURA
DE CANTÁBRIA (ESPANHA) PARA SABROSA

Conheceram-se na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, onde Vítor estu­dava Ecologia Aplicada e Laura, aluna de Erasmus, foi fazer Ciências do Ambiente. Os interesses comuns acabariam por pe­sar na união e no futuro preso com mel de abelha. Concluídas as licenciaturas, deci­diram ser apicultores profissionais. Com­praram algumas colmeias, familiari­zaram-se com a ati­vidade, conheceram apicultores por toda a Europa e em 2009 começaram a fazer o mestrado em Enge­nharia Agronómica, em França. Em 2011 fizeram uma candi­datura a fundos comunitários e, com a aju­da da UTAD, começaram a trabalhar a sé­rio criando a Apibéricos.

Atualmente, têm cerca de 600 col­meias, o que no verão representa quaren­ta milhões de abelhas espalhadas por api­ários de Sabrosa, Pedras Salgadas (Vila Pouca de Aguiar), Vila Nova de Foz Coa e Aveiro. Mas o objetivo é chegar às mil e instalar-se também em Espanha. Com a empresa a crescer terão de pensar em re­forçar a equipa, pois agora já admitem que são «escravos das abelhas». «Não há férias de verão, nem fins de semana, nem feria­dos… às vezes nem noites», diz Laura. «As abelhas estão sempre a trabalhar e não es­peram por ninguém. Temos de acompa­nhar o seu ciclo de produção», completa Vítor. O inverno deixa tempo para respi­rar, mas nessa altura procuram participar em congressos internacionais. «Para tra­tar bem das abelhas é preciso muito co­nhecimento.»

Num ano bom, a empresa pode pro­duzir sete tonela­das de mel, além de pólen, cera e pró­polis, mas também faz produção biológica de enxames. Ví­tor garante que «a venda está assegurada e a bons preços». Os espanhóis são os prin­cipais clientes, seguidos dos portugueses e dos franceses. Entretanto, começaram recentemente a dedicar-se ao apiturismo para mostrar o que fazem e proporcionar aos turistas que visitam a região a opor­tunidade de serem apicultores por um dia. O programa pode incluir várias atividades no meio das abelhas, ou à mesa, provando diversas iguarias com produtos derivados da colmeia.

Notícia completa em Notícias Magazine

 

Deixe uma resposta